NOTÍCIAS

Operação SOS-SAÚDE

A POLÍCIA FEDERAL, A RECEITA FEDERAL E A CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO ESTÃO INVESTIGANDO UMA “O S” POR SUSPEITA DE DESVIAR RECURSOS QUE DEVERIAM ESTAR SENDO INVESTIDOS NA SAÚDE DE VÁRIOS ESTADOS BRASILEIROS, INCLUINDO GOIÁS. EM TODO O PAÍS, FORAM CUMPRIDOS 34 MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO EM TODO PAÍS.

AQUI EM GOIÁS, ESTÃO SENDO CUMPRIDOS 11 MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO PARA INVESTIGAR OS SUPOSTOS DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS. DE ACORDO COM A POLÍCIA FEDERAL, AS INVESTIGAÇÕES APONTARAM QUE A ORGANIZAÇÃO SOCIAL FIRMAVA CONTRATOS COM ALTOS VALORES COBRADOS PELA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO E ACABAVA DESVIANDO OS RECURSOS PARA AS EMPRESAS VINCULADAS AOS DIRIGENTES DA OS. O INQUÉRITO FOI INSTAURADO EM FEVEREIRO DE 2019 E PASSOU A AVERIGUAR SUPOSTAS IRREGULARIDADES PRATICADAS PELA OS QUE NA ÉPOCA ADMINISTRAVA UM HOSPITAL EM PONTA PORÃ, NO MATO GROSSO DO SUL. SEGUNDO A PF, A ORGANIZAÇÃO CRESCEU EXPONENCIALMENTE E PASSOU A ADMINISTRAR UNIDADES DE SAÚDE EM VÁRIO ESTADOS.

O RECEBIMENTO DE GRANDE VOLUME FINANCEIRO CHAMOU A ATENÇÃO DA POLÍCIA: QUASE 1 BILHÃO DE REAIS ENTRE 2014 E 2019. A OPERAÇÃO SOS-SAÚDE TEM A FINALIDADE DE DESARTICULAR A ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA ESPECIALIZADA NA PRÁTICA DE CONDUTAS QUE PODEM CONFIGURAR DELITOS COMO FALSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS, DISPENSA IRREGULAR DE LICITAÇÃO, PECULATO E ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA. SÃO ALVOS DAS MEDIDAS CAUTELARES OS GESTORES DA ORGANIZAÇÃO SOCIAL QUE, NA ÉPOCA, ADMINISTRAVA O HOSPITAL REGIONAL DE PONTA PORÃ/MS; EMPRESAS QUE RECEBERAM IRREGULARMENTE VALORES FINANCEIROS E SEUS RESPECTIVOS SÓCIOS-ADMINISTRADORES; ALÉM DE DOIS CONTADORES E SEUS ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE. FORAM CUMPRIDOS 34 MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO, SENDO 11 EM SÃO PAULO, 10 EM GOIÂNIA, 3 EM BRASÍLIA E 1 EM CAMPO GRANDE, ALÉM DO SEQUESTRO DE BEM, DIREITOS E VALORES.

Texto: Eunice Fleury

Tags
Show More

Related Articles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Close
Close